O Poder da Empatia

“Seja gentil, porque todo mundo enfrenta uma batalha difícil!”
— Extraordinário

Ontem vi o filme, de 2017, intitulado “EXTRAORDINÁRIO” e nesse filme pude rever conceitos que aprendi, ainda muito novo, sobre: fotografia, sobre a vida e sobre o mundo.

Quero, neste post, compartilhar um pouco de técnica fotográfica e de empatia.

Vivemos em um mundo vasto, com mais de 7 bilhões de pessoas, com as mais diversas doenças, com as mais diversas calamidades e com desigualdades gritantes, mas sempre somos esperançosos de um futuro melhor… O FUTURO MELHOR PASSA POR SERMOS MELHORES.

“Coragem. Bondade. Amizade. Caráter. Essas são as qualidades que nos definem como seres humanos.”
— Extraordinário

E nossa melhora passa por entendermos melhor os conceitos que nos rodeiam, vamos começar com os conceitos de composição (que são importantes para a nossa fotografia).

Logo no início do filme… bem… vou começar pelo final.

Acho que essa frase deve ser um MANTRA para todos nós: humanos!

Uma pena a legenda da Amazon Prime estar bugada…
“Seja gentil, porque todo mundo enfrenta uma batalha difícil!”
— Extraordinário

Na foto acima o protagonista (Auggie) está sendo filmado por trás (over the shoulder) enquanto todos a volta aplaudem ele… vejam que eles estão em um nível inferior, não para inferioriza-los, mas para mostrar que naquele momento o palco é todo do Auggie… e ele vem junto com um plano geral para mostrar todos que estavam lá (mostrando o tamanho do público e a grandiosidade do feito). Se você ainda não viu o filme não entende o tamanho das dificuldades que ele passou, mas quero elucidar nas próximas linhas e imagens…

Vamos lá, agora, ao início… como quase todo início de filme temos algo fora do comum… a primeira cena é de uma criança fantasiada de astronauta (talvez para mostrar o maior desejo de Auggie, talvez para nos deixar mais curiosos sobre o que vem por ai).

Esse é o famoso plano close (busto pra cima pegando parte do peito, e mostrando por totalidade a cabeça, no caso o capacete). Ele é quase um plano médio, mas falaremos mais adiante sobre.

Na cena à seguir temos um plano geral, que é utilizado para ambientar, nesse plano já não existe mais a roupa, somente uma criança com um capacete, mostrando que aquele era mesmo um desejo de Auggie.

Esse é o Plano Geral, utilizado para mostrar o ambiente e deixando o protagonista em segundo plano, calma, o protagonista não fica apagado na cena, ele é parte crucial, mas nesse momento a câmera deseja mostrar aonde ele está e como ele está. Nesse caso uma criança feliz pulando na sua cama, com seu quarto bem arrumado e com brinquedos, mostrando que aquele não é um momento ruim, mas um momento bom…

Na cena à seguir Auggie está contando mais sobre sua história, veja como a direção utiliza bem as linhas, o ponto de fuga e a luz e sombra para direcionar o olhar para Auggie e sua bicicleta.

Mais um plano geral, perceba as linhas próximas a Auggie e a diferença de luz e ele na sombra. No take a seguir fica mais claro a utilização de luz e sombra.
Continuamos no plano geral, mas dessa vez um pouco mais fechado.

Então mudamos para a casa, ele brincando com seu pai e entramos em mais um conceito de composição: Over The Shoulder… em português: Sobre o Ombro… Esse tipo de ângulo é utilizado para mostrar que existe interação entre dois personagens.

Além do Over The Shoulder, temos o conceito de Contra-Plongée que é um ângulo mais baixo para mostrar a diferença e deixar o personagem “maior do que realmente é”, nesse caso está mostrando a visão de Auggie perante seu pai.

E logo em seguida um take do cachorrinho, em Plongée (angulo levemente superior que mostra a fragilidade do personagem – calma não darei spoillers sobre o filme, apenas vou comentar do ponto de vista técnico, fotográfico e humano).

O cão está em uma posição de vulnerabilidade.

Depois dessa parte Auggie continua contando a história dele e fala sobre suas cirurgias, nesse momento se faz um plano super close/detalhe (eles meio que se fundem nos conceitos, mas basicamente um é mais fechado que o outro) no seu mural de “pulseiras das cirurgias” que nos faz pensar que são poucas, mas que vai abrindo até se tornar um plano geral onde mostra todas as cirurgias que ele passou.

Plano detalhe ou plano super close (eles são próximos, então você decide hehe)
Plano Geral – mostrando todas as cirurgias que ele passou.

Esse artifício é utilizado para “ancorar” nossa mente em um número e depois chocar com outro MUITO MAIOR, trazendo o sentimento de empatia pelo protagonista (lembrando que até o momento o filme foi todo focado nisso: contar a história, a jornada de Auggie e fazer com que tenhamos empatia por ele). Sim tudo isso é pensando em um filme.

Ta Allan e o que eu posso levar disso para minha fotografia?

  • Olha, não pegou nada ainda? Leia com calma, pq tem muita coisa que você pode utilizar na sua fotogarfia.

Seguimos…

Over The Shoulder com Moldura – para mostrar que Auggie é um expectador daquela conversa (Over the…) e que seus pais não estão vendo que ele está vendo e ouvindo a conversa (Moldura).
Sempre que você for utilizar moldura não faça com o protagonista olhando para a câmera, a ideia de moldura é para dar a sensação de “terceiro elemento” que não está participando da cena.

Nós não conseguimos ver o seu rosto (plano reto ou normal), mas pelo tom da conversa dos pais e o plano na altura de Auggie nós temos a sensação que aquilo não é bom, que realmente ele não gostou e que se sente mal.

Plano Normal ou Reto (na altura dos olhos), mostrar exatamente o ponto de vista do personagem, não deixando ele fragilizado ou superiorizado, mostrando que a câmera está mostrando que “entendeu” o que ele está passando.

Depois dessa parte… vemos pela primeira vez o rosto de Auggie e uma feição triste. Nesse caso é utilizado um plano close, para mostrar os detalhes do rosto dele e o motivo da fala dos pais e da tristeza dele.

Plano close mostra bem as marcas do rosto, o sentimento. Nesse caso o plano close está quase em Perfil, mas está em um ângulo de 3/4 (ta anotando? não precisa, só visitar o post quando quiser hehe).

“A questão é que todos temos que lidar com os dias ruins.”

— Extraordinário

Plano Geral e ângulo Plongée-Absoluto ou Zenital (esse segundo mais utilizado em arquitetura). Esse ângulo totalmente superior dá uma visão pouco comum da cena, transformando algo “ordinário” em “extraordinário”.
Close + plongée-absoluto. Para mostrar o sentimento de Auggie e mostrar que ele é uma criança comum… com seu ursinho para dormir.

“A grandeza não está em ser forte, mas no uso correto da força. Grande é aquele cuja força conquista mais corações pela atração do próprio coração.”

— Extraordinário

Em seguida migramos para uma câmera aérea com plano geral.

Plano geral para mostrar AONDE ocorre… qual cidade. O plano geral é utilizado sempre que queremos contar mais sobre algo, mostrando o local.

Depois migramos para ele indo conhecer a escola e o diretor da escola. Note a fragilidade dele reforçada com o ângulo plongée.

Plongée com over the shoulder… mostrando a interação dos 3 e a fragilidade de Auggie perante aquele momento.
Contra-Plongée mostrando a visão de Auggie, no qual o direto parece uma figura gigante e “assustadora” para ele naquele momento.
Mais um plongée, desta vez com um plano close para mostrar as feições de Auggie, convergindo assim para aquele momento de “tensão e fragilidade” para ele.
Aqui um plano detalhe que mostra um pouco de como o diretor leva na boa as brincadeiras que fazem com seu nome. Isso é um recorte que mostra um detalhe que passaria despercebido.

“Quem eu gostaria de ser? Essa é a pergunta que devemos nos fazer sempre.”

— Extraordinário

PLano médio, utilizado para mostrar a interação entre os personagens e uma parte do local. Note que a frente de Auggie está o boneco e o “mini cartaz” que apareceu antes em plano detalhe. Aqui eles não possuem nenhum papel importante e quase não aparecem. O plano detalhe fez com que eles tivessem evidência, pelo menos por um instante do filme, assim como podemos fazer com os cílios da noiva, brincos, sapatos, etc…
Plano close (quase médio) mostrando a reação de Auggie quando chegam crianças que irão apresentar para ele a escola.
Moldura, para evidenciar que é a visão de Auggie, nenhuma dos atores está olhando para a câmera, justamente para dar aquela sensação de “terceiro elemento” que vê a cena de fora da cena.
Na imagem ele está novamente fragilizado com o ângulo plongée. Vejam a reação dele para a mãe.
Tomada de diálogo em A e angulo perfil, utilizado para mostrar diálogo entre duas ou mais pessoas. Funciona muito bem para fotografar casais. Além disso temos um plano close nos dois atores para mostrar a expressão de ambos.
Auggie em plongée indo sozinho para a escola enquanto a câmera está em over the shoulder nos pais para mostrar a visão deles de preocupação com o filho. Que é enfatizada na imagem à seguir, com um close das reações dos pais.
Close para mostrar a reação dos pais.
Over… em contra-plongée para mostrar a diferença entre as crianças e o professor que está em um nível de superioridade, neste caso o conhecimento.
Over… plano geral para mostrar a sala com os alunos em ângulo plongée, para mostrar que ali eles são “frágeis” e “sabem menos” que o professor. Por isso são os alunos.

Quando Auggie está na escola sua mãe se encontra em um primeiro momento “perdida” e “sozinha”, por isso o plano geral e a luz e sombra, para dar um ar mais dramático aquele momento.

Plano geral, luz e sombra…

Auggie também se sente sozinho e não somente isso: ISOLADO! O plano geral mostrando as crianças em pares ou em mesas com mais crianças demonstram bem esse panorama de Auggie. E podemos levar para a vida, também… as vezes estamos rodeados, mas sozinhos. Não se sinta assim, saiba que eu estou aqui e tem muita gente que está aqui ou ali para você poder conversar.

“Se precisar de ajuda, pode pedir a mim. Você não está sozinho.”

— Extraordinário

Plano geral em plongée (fragilidade de Auggie) que veremos mais vezes com o seu isolamento, conforme a imagem à seguir.

O plongée-absoluto da uma dimensão ainda maior do isolamento de Auggie, vejam as cadeiras vazias em volta dele. Em uma imagem plongé ou reta seria muito difícil visualizar isso.

Após um dia complicado e triste… ele volta para a casa (não vou contar detalhes), mas ele vai para seu quarto e lá temos um ambiente com mais luz e sombra para nos deixar mais sentimentais (dar uma sensação de drama) que culmina com o abraço de sua mãe em um over the shoulder e plano close – mostrando o semblante de tristeza da mãe).

Luz e sombra… close…
Moldura, já sabe né? Tem alguém olhando a cena “de fora da cena”. É a sua irmã que em muitos momentos se sente deslocada e “esquecida” pela família.

“Quando você poder escolher entre estar certo ou ser gentil, escolha ser gentil.”

Extraordinário

Depois da moldura corta para a cena da irmã olhando a cena de fora da cena.

Contra-plongée com a mãe em segundo plano (ela é a adulta enquanto os 3 são “crianças”), além disso temos uma sequência dos três fazendo a mesma coisa, sequência funcionam muito bem em qualquer foto ou cena.
Plano geral, para? Mostrar o ambiente… isso mesmo! hehe Motivo? na cena de close você não consegue saber aonde é e a cena ficaria solta. É o mesmo que você ir em algum lugar fotografar e só usar uma 85mm (por exemplo). Você precisa usar os planos e ângulos para enriquecer a história que conta.

Depois disso vamos passar para a parte alegre, onde Auggie consegue cativar novos amigos. Vejam que ao contrário da cena que mostrei antes, agora a luz está bem plana e com bastante luz e cor. Para dar a sensação de alegria, leveza e harmonia. Além disso todos estão sorrindo.

Mais um momento dramático, neste caso, mais uma vez se usa o artifício da luz (tem menos luz que na cena anterior) e mais, agora estão utilizando tons mais frios e “dessaturados” para trazer tensão ao momento.

Agora, podemos ver que o filme voltou as tons quentes, motivo? Estamos chegando em mais um momento “bom” do filme.

Plano close, ângulo levemente contra-plongé, sequência, luz de recorte…

Em alguns momento eu posso ter sido meio relapso ou ter falado pouco sobre os planos, ângulos, etc… peço desculpas.

Minha ideia, com o post, é tentar ajudar o iniciante a entender um pouco melhor os conceitos de composição em fotografia e ao mesmo tempo dar umas palavras de conforto.

Espero que tenha sido útil para você.

Forte abraço.


2 thoughts on “O Poder da Empatia

  1. :

    Allan parabéns pôr você existir na nossas vidas .
    “O mestre não e o que fala e sim àquele que sabe transmitir o quê quer ensinar.”

  2. Parabéns Allan, já te seguia no youtube e no facebook, agora também o farei aqui. Artigo muito interessante e inspirador.

Leave a reply